Andrea Moller ganha prêmio no WSL Big Wave Awards

A paulista Andrea Moller foi um dos destaques da cerimônia do Big Wave Awards 2018/2019, na noite de gala da World Surf League para celebrar os melhores surfistas do mundo em ondas gigantes. O evento aconteceu na noite da quinta-feira no BeachLife Festival, em Redondo Beach, na Califórnia, Estados Unidos. A surfista de Ilha Bela ganhou o prêmio “Paddle Award” que foi estabelecido esse ano, pela onda de mais de 40 pés, cerca de 15 metros de altura, que surfou em Jaws no Havaí.

Andrea Moller ainda repetiu o feito da também brasileira Maya Gabeira em 2018, ao entrar no Guinness World Records, mas como a mulher que surfou a maior onda da história na remada, com a força dos braços, sem o auxílio do jet-ski para entrar nela.

Por estar sendo instituído agora pela World Surf League, esse primeiro prêmio não obedeceu ao período desta edição do WSL Big Wave Awards, referente a 2018 e 2019, mas em toda a história, então foi ainda mais especial para Andrea Moller receber o troféu “Paddle World Record”. Essa onda que ela surfou “no braço”, foi em 16 de janeiro de 2016 em Jaws, na ilha de Maui, Havaí. A altura calculada foi de 42 pés, quase 15 metros de altura. A paulista já foi indicada a vários prêmios ao longo dos anos e tinha vencido em 2016 o “Best Performance” de melhor desempenho.

“Uau, eu realmente não estava esperando por isso, mas lembro daquele dia como se fosse ontem”, disse Andrea Moller, na cerimônia de premiação. “Foi um dia com as maiores ondas que eu já vi na vida, para pegar na remada. Eu só quero agradecer à World Surf League pelo reconhecimento e pela igualdade, com premiações iguais para homens e mulheres. É uma conquista incrível e isso inspira não somente a nós, surfistas, mas a todos ao redor do mundo. A igualdade é, realmente, o caminho certo a seguir”.

Antes, o “Paddle Award” era uma categoria para ambos os sexos, concedido à maior onda surfada na remada dentro da temporada. Agora, a World Surf League passa a premiar a maior onda surfada pelos homens, separados das mulheres. Outra surfista que festejou bastante na “noite de gala” dos big-riders foi a francesa Justine Dupont, vencedora de dois prêmios, o “Hydro Flask” pela melhor performance na temporada e o “XXL Biggest Wave Surfer” pela maior onda surfada, incríveis 53 pés de altura em 18 de novembro do ano passado em Nazaré, Portugal.

Mais dois premiados também receberam dois troféus no WSL Big Wave Awards 2018/2019. O sul-africano Grant Baker ganhou o mesmo “Biggest Paddle” da brasileira Andrea Moller e o “Ride of the Year” de melhor big-rider do ano. E o havaiano Kai Lenny levou o do “Biggest Wave Surfer” pela maior onda surfada e o “Overall Performance” pelo melhor desempenho na temporada. Já o “Wipeout of the Year” pela queda mais assustadora, ficou para o havaiano Makua Rothman.

O Big Wave Awards foi realizado com apoio da Hydro Flask, Barefoot Wines, Red Bull, Michelob Ultra e BeachLife.

VENCEDORES DO WSL BIG WAVE AWARD 2019

RIDE OF THE YEAR
Grant Baker (Durban, África do Sul) pela onda surfada em Jaws, Maui, Havaí, em 26/nov/2018

WOMEN´S PADDLE WORLD RECORD
Andrea Moller (Ilhabela, Brasil) pela onda surfada em Jaws, Maui, Havaí, em 16/jan/2016

MEN´S BIGGEST PADDLE
Grant Baker (Durban, África do Sul) pela onda surfada em Jaws, Maui, em 26/nov/2018

WOMEN´S XXL BIGGEST WAVE SURFER
Justine Dupont (Segnoisse, França) pela onda surfada em Nazaré, Portugal, em 18/nov/2018

MEN´S XXL BIGGEST WAVE SURFER
Kai Lenny (Maui, Havaí) pela onda surfada em Jaws, Maui, Havaí, em 26/nov/2018

HIDRO FLASK WOMEN´S PERFORMANCE
Justine Dupont (Segnoisse, França)

MEN´S OVERALL PERFORMANCE
Kai Lenny (Maui, Havaí)

WIPEOUT OF THE YEAR
Makua Rothman (Oahu, Havaí) pela queda numa onda em Cloudbreak, Fiji, em 22/mai/2018

Por: João Carvalho – WSL South America Media Manager
(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com